CRISTIANISMO

Independentemente de termos ou não uma crença religiosa ou da religião que praticamos, conhecer a origem do cristianismo é importantíssimo, pois essa doutrina tem influenciado a história da humanidade há 2.000 anos. As origens medievais das atuais nações europeias são essencialmente cristãs.

Independentemente de termos ou não uma crença religiosa ou da religião que praticamos, conhecer a origem do cristianismo é importantíssimo, pois essa doutrina tem influenciado a história da humanidade há 2.000 anos. As origens medievais das atuais nações europeias são essencialmente cristãs.

Historicamente, os fatos que fundamentaram o cristianismo ocorreram durante o Império romano, nos últimos séculos da Idade Antiga, que se estendeu de aproximadamente 3.500 a.C. até 476 d.C.

O cristianismo surgiu a partir da doutrina dos homens que seguiram Jesus Cristo. Jesus foi um judeu que nasceu e morreu na região onde atualmente se situam a Jordânia e Israel, no Oriente Médio, território sob o domínio dos romanos no século 1.

Como a maior parte do mundo ocidental até hoje segue o calendário cristão, o ano 1 de nossa era é justamente marcado pela data aproximada em que Jesus nasceu. O destaque dado a esse personagem histórico, nascido em Belém (cidade localizada no Reino da Judéia), deve-se ao fato de ele ser considerado por seus seguidores como o filho de Deus.

Pedro, Paulo e a Bíblia

Alguns judeus acreditaram que Jesus fosse o messias, ou seja, o enviado de Deus para redimir a humanidade, de que falavam seus textos sagrados. Outros não. Assim, as autoridades judaicas passaram a persegui-lo.

Segundo os registros deixados por seus discípulos - que depois foram à base para a segunda parte do livro sagrado dos cristãos, a Bíblia - Jesus foi morto na cruz pelos seus perseguidores e teria ressuscitado, demonstrando seu poder divino. Essa crença no messias foi, portanto, alimentada para além da morte de Jesus e veio a se constituir numa religião.

Os seguidores de Cristo, seus apóstolos (discípulos), como Pedro e Paulo, na década de 50 d.C. espalharam os ensinamentos e as histórias sobre Jesus em Roma e na Europa.

Escreveram textos sobre a nova religião, que viriam a integrar o Novo Testamento, a segunda parte da Bíblia. A primeira parte, ou Velho Testamento, é o mesmo livro sagrado dos judeus, a Torá.

Os fatos ali relatados foram sendo escritos no decorrer da história do povo judeu (hebreu), em mais de 4.000 anos. Esses livros tiveram como base os mitos e as lendas sobre o origem do mundo e acontecimentos vividos por esse povo.

O que difere os judeus dos cristãos é que os primeiros não acreditaram que Jesus fosse o filho de Deus e os segundos, sendo judeus na origem, abandonaram sua religião e passaram a expandir a fé em Cristo paraoutros povos, fundando para isso uma nova igreja, chamada cristã.

O surgimento da Igreja

Os descendente dos apóstolos, que começaram a espalhar o cristianismo pelo mundo, eram chamados de patriarcas. Assim, as comunidades constituídas pelos apóstolos foram se perpetuando mesmo após a morte deles, fazendo o cristianismo se fortalecer como igreja.

"Igreja" vem da palavra grega "eclésia", que significa assembléia, representando, portanto, a reunião de homens que compartilham as mesmas idéias e práticas.

Perseguidos pelos romanos durante séculos, os cristãos sofreram uma série de torturas. Foram acusados de incendiar Roma na época do imperador Nero (54 a 68).

De maneira geral, era comum se queimarem os cristãos vivos ou fazê-los serem devorados por feras, à vista de todos, nas arenas dos circos romanos. Essa repressão tinha o propósito de evitar que o cristianismo continuasse a se expandir pelo Império.

As ideias dos primeiros cristãos assustavam Roma porque eles não concordavam com a adoração ao imperador como deus vivo e pregavam igualdade entre os homens.

Dessa forma, no decorrer dos séculos, essa religião de apelo popular foi conseguindo cada vez mais adeptos. Os romanos, então, acharam mais conveniente se aproximarem dela do que continuarem a persegui-la.

Religião oficial de Roma

Assim, em 313, o próprio imperador Constantino converteu-se ao cristianismo e permitiu o culto dessa religião em todo o Império. Oitenta anos mais tarde, a história inverteu-se completamente. Em 391, o cristianismo não só se tornou a religião oficial de Roma, como todas as outras religiões pagãs passaram a ser perseguidas.

A partir do momento em que o Império resolveu tornar a religião cristã oficial para os romanos e todos os povos por eles dominados no século 4, a Igreja cristã começou ganhar força, como uma instituição poderosa.

Os patriarcas ou bispos do cristianismo estavam espalhados pelo Império Romano em várias cidades: Alexandria, Jerusalém, Antioquia, Constantinopla e Roma. Segundo ordenou o imperador em 455, o patriarca de Roma passou a ser, a partir de então, a autoridade máxima de Igreja, sob a denominação de papa.

Católica, Apostólica e Romana

Depois desse processo, a Igreja católica foi consolidando o nome que resume os seus objetivos: Igreja católica apostólica romana. Assim, ficou definido que essa instituição representa uma assembléia (igreja), seguidora dos apóstolos de Cristo (apostólica), com sede em Roma (romana), que deveria espalhar a fé para todo o universo (católica significa universal).

Ainda em 325, o imperador Constantino havia promovido um encontro em Nicéa com autoridades eclesiásticas para definir as principais crenças e normas que deveriam nortear a conduta dos cristãos. Esse acordo foi chamado de Concílio de Nicéa e foi uma marco na constituição da religião católica.

No entanto, a consolidação definitiva do poder dessa Igreja iria se dar nos séculos seguintes, a partir da Idade Média, que se inicia no século 5. O Império Carolíngeo (séculos 8 a 9) e o feudalismo (principalmente séculos 8 a 11) proporcionariam espaço econômico e poder político para a Igreja Católica se constituir na principal instituição medieval.

O surgimento das Igrejas Evangélicas

A Reforma Protestante, foi um movimento liderado por Martinho Lutero em 1517, com intuito de moralizar o Cristianismo,da decadência em que vivia.Pois além da questão da venda de indulgências(salvação e perdão),a Igreja Católica perseguia a todos que se voltassem contra ela seja em termos de doutrina,como em sua política de um modo geral. A mesma era uma,senão a mais corrupta das instituições que existiam até a Renascença.Naquela época para se ter uma ideia padres e inclusive o próprio Papa podiam casar(mais isso não era problema nenhum),a questão é que eles tinha além da esposa oficial tinham varias amantes.Nessa época os bens dos Padres e Papas eram herdáveis e a Igreja era obrigada a pagar herança a seus descendentes.Um outro fato importante é que a Igreja Católica era dona da maior parte das terras da Europa na Idade Media, sendo por isso considerada a maior senhora feudal daquele continente.

Esta mesma instituição perseguiu ferozmente todos aqueles que se voltavam contra sua doutrina, política e idéias. Um exemplo disso foi Galileu Galilei que foi obrigado a negar a teoria heliocêntrica da Terra, pois senão seria queimado na fogueira, outro exemplo foi Copérnico que descobriu que a teoria heliocêntrica e não teve a mesma sorte foi queimado na fogueira. O mesmo aconteceu com John Huss que se tentou se voltar contra a política e doutrina da Igreja, com pensamentos semelhantes ao de Lutero, este também foi queimado na fogueira.Este ultimo foi o precursor do Protestantismo.

Muitas foram as insurreições contra Igreja Catolica, sendo que a maioria foi ferozmente abafada da forma que citei no parágrafo anterior,porem a de Lutero foi bem sucedida,e por quê?Foi bem sucedida,pois naquele momento estava em curso a Renascença que foi um movimento por si só contrario as idéias da Igreja e a favor do desenvolvimento e progresso da Humanidade.A Igreja ja estava extremamente desacreditada por todos,por ser a instituição mais corrupta naquele momento.Momento este representado pelo papa Leão X,o mais corrupto da história da Igreja(este era da familia Medici, a mais corrupta e ladra da Italia. Que dominou o vaticano para se beneficiar em poder e financeiramente).Nem os nobres e a emergente burguesia confiavam mais nela.Foi nesse momento que Lutero lançou sua insurgência e foi bem sucedido.

Lutero fixou as 95 teses na Catedral de Wintenberg, após a Igreja começar a cobrar indulgências,no intuito de acumular capital para construção da Catedral de São Pedro.O mesmo fez isso não só por considera-la imoral,mas também baseado num versículo bíblico em que diz que justo viverá pela fé(Rm5:17).O mesmo também não também concordava com a política da mesma. Lutéro era um monge da Ordem de Santo Agostinho.Ele tinha muitas amizades com príncipes e duques alemães e foi graças a isso que seu movimento deu certo,pois estes lhe deram cobertura para enfrentar o papa Leão X,tanto na exposição de suas 95,como na confissão e não retratação de suas idéias,assim como rasgou na frente do mesmo a Bula Papal que o excomungava,também na frente do mesmo.Lutéro enfrentou támbem o Imperador Carlos V,partidário da Igreja,no qual em sua frente reafirmava suas posições.Graça a essa proteção ele pôde traduzir para Alemão a biblia, pois a mesma só era escrita em latin e não ficava disponível para população em geral.Vale lembrar que Lutero não queria fundar uma nova religião,e sim moralizar a própria Igreja Católica,pois esta como havia dito estava no auge de sua decadência moral.O surgimento das igrejas evangélicas ou protestantes foi uma consequência que Lutéro não queria e não pode evitar.

Após isso, este movimento explodiu na Europa. Na Alemanha houve varias guerras. Numa em que tinha camponeses que lutavam por terra e melhores condições (estes chefiado pelos anabatistas), Lutero mandou que exterminasse aqueles insurgentes.Houve também na França a Batalha da Noite de São Bartolomeu,em que muitos protestantes foram mortos.Muitas igrejas foam saqueadas ou destruidas.  Imagens de santo foram quebradas e saqueadas. Calvino nesta mesma época também lançava sua forma de protestantismo, na França e na Suiça (Genebra), sendo que este entra em atrito com Lutéro, pois este quer reafirmar o surgimento da nova religião, enquanto que Lutéro queria apenas moralizar a Igreja Católica. A tese de Calvino acabou prosperando, pois o mesmo defendia que a Igreja não tinha mais conserto,em função de sua decadência moral.Idéia esta aceita pela maioria dos protestantes naquele momento. Ja henrique VIII támbem insurge contra Igreja.Mais ai foi por que ele queria casar novamente e a mesma negou-lhe divorcio. Então este separou a Igreja Inglesa e fundou a Igreja Anglicana que anos mais tarde assimilaria as ideias da Calvino e Lutéro, por conta da conversão de sua filha Elizabeth ao protestantismo, em que mesma coloca a doutrina protestante com sendo a doutrina desta igreja, após usa conversão. John Knox funda na Escócia o Presbiterianismo baseado nas ideias de Calvino.

Bem vindo a Fundação Jomateleno  - Endereço: Rua José  Moreira Fraga nº 202/210
City Empresarial Jaraguá - Sede Própria  - São Paulo Capital - CEP 02992-170
Telefone: +55 (11) 3991-9919 (11) 98460-4046 - WhatsApp
© 2018 Todos os Direitos Reservados​